A maturidade é a contraparte do que nos pisoteia a uva (o ego), e a pisa a todo momento. Nos pede para assumir a pequenez em troca de sabedoria.